Emergir é uma iniciativa independente com um objetivo claro: disseminar os fenômenos que caracterizam o paradigma da Complexidade. Com isso, espera-se catalisar novas possibilidades de pensamento, organização e ação no mundo. Isto é, interpretações que reconheçam a importância dos processos sistêmicos de adaptação e emergência para a resolução de problemas no século XXI.

São notáveis os desafios para alcançar o objetivo descrito acima. Porém, é possível encontrar resiliência nas conexões com quem reconhece a importância do momento em que vivemos - e a urgência de uma mudança de paradigma. Assim, à semelhança de processos emergentes em sistemas complexos, acreditamos na possibilidade de alcançar resultados que são > ∑(partes) - maiores do que a somatória das partes envolvidas.

Para tanto, o Emergir foca suas energias na produção de conteúdo - sempre livre, licenciado através das licenças Creative Commons.

Temática

O conteúdo produzido pelo portal cobre uma ampla gama de tópicos. Algo natural, dado o aspecto interdisciplinar que caracteriza a complexidade. Porém, em ordem decrescente de abstração, estes são os temas principais que conectam este trabalho:

Cognição

Uma mudança de paradigma de altas proporções exige uma revisão nos mecanismos que regem a cognição. Assim, o Emergir explora teorias e meta-conceitos sobre o pensamento que se mostram mais adaptáveis à vida no século XXI.

Ciência da Complexidade

O estudo de fenômenos de natureza complexa exige uma “caixa de ferramentas” diferente daquela utilizada pela ciência convencional. Dentro desta caixa encontram-se a Teoria de Redes, a Teoria da Informação, o estudo de Sistemas Dinâmicos, a Modelagem baseada em agentes, a Não-linearidade, a Ecologia, a Teoria dos Jogos e outras técnicas e abordagens. A ideia aqui é explorar todas estas ferramentas e suas aplicações mais relevantes.

Mas afinal, o que é a Complexidade?

É extremamente fácil se perder com o uso da expressão “complexidade” e seus derivados. Quem vos escreve foi culpado desta falha inúmeras vezes. Assim, é importante adquirir uma compreensão clara do que este conceito significa, de forma a transcender o seu uso coloquial e utilizá-lo de maneira a auxiliar o raciocínio (ao invés de inibí-lo). Para além de caracterizar a dificuldade de uma situação, a complexidade refere-se a uma abordagem interdisciplinar de investigação de fenômenos, distinta das abordagens tradicionais postas pela ciência newtoniana. Devido ao uso de novas técnicas e teorias em seu processo de indagação, a complexidade é muitas vezes classificada como um novo paradigma, “que visa associar sem fundir, distinguindo sem separar as diversas disciplinas e formas de ciência.” A palavra “complexo” tem origem no Latin e combina as raízes “com” (que significa “junto”) e “plexo” (que significa “tecido” ou “entrelaçado”). Logo, fica claro que algumas das características principais da complexidade são a interconectividade e a interdependência. Este paradigma é utilizado para caracterizar e estudar entidades - sistemas - que têm muitas partes interagindo umas com as outras de múltiplas formas distintas, culminando em ordens superiores de emergência que são maior do que a soma de suas partes constituintes. Assim, sistemas complexos são abstrações que podem ser utilizadas para o estudo e modelagem de fenômenos emergentes em diferentes áreas do conhecimento - da biologia à antropologia. E a complexidade serve como estrutura que conecta estes diferentes campos através de investigações multi-disciplinares.

Tendências Tecnológicas

Atualmente, o movimento de decentralização é um dos melhores exemplos de abordagem que - deliberadamente ou não - utiliza a complexidade para a resolução de problemas. Ao “abraçar a hyperconectividade” e criar soluções que facilitam uma diversidade de trocas peer-to-peer (p2p), os sistemas decentralizados emergem como alternativas cada vez mais atraentes aos sistemas lineares extremamente burocráticos que herdamos do século passado. Assim, o Emergir se propõe a explorar e explicar as tecnologias e aplicações mais relevantes por trás da decentralização. Tais incluem projetos em blockchain (e sua evolução), cripto-moedas (como bitcoin e ether), e outros protocolos e métodos p2p.

Formato

Atualmente, grande parte do pensamento e experimentação complexa está sendo feitos em Inglês, o que representa uma barreira natural para a sua disseminação. E de maneira a superar esta barreira para além de traduções textuais, o Emergir faz uso dos seguintes formatos:

Cursos Animados

Animações são um ótimo meio para a comunicação de ideias abstratas. Assim, o Emergir disponibiliza cursos animadados em sua frente educacional. Este conteúdo está disponível em redes de relações que enfatizam as conexões entre os diferentes tópicos.

Podcast

Podcast são transmissões e/ou gravações de aúdio que se inspiram no formato do rádio para a comunicação de informação. Sua característica dinâmica facilita a transição entre diferente aspectos de um assunto. E eles também permitem a interação com ouvintes e convidados. O Emergir utilizará este formato para a exploração de tópicos sobre a complexidade e conversas com pessoas cujas ocupações estão alinhadas com as premissas do portal. Acompanhe a Rádio Emergir.

Projetos

O portal também serve como vitrine para projetos relevantes à exploração do paradigma da complexidade.

Contato

Uma vez que a aposta é no poder dos movimentos ascendentes (bottom-up), as portas de colaboração estão sempre abertas aos leitores do portal. Pensou em alguma maneira de se envolver? Quer bater um papo? Dê um alô por aqui e vamos conversar. O Emergir está aberto (mas não limitado) a:

  • Sugestões de temas;
  • Novas colunas no portal;
  • Participação no podcast;
  • Eventos e encontros presenciais;
  • Outras formas sinergéticas de colaboração.

Doações

Contribuições financerias são extremamente bem-vindas, especialmente por conta do caráter não-lucrativo do portal. E apesar de não serem os únicos, estes são os canais preferidos:

Bitcoin Ether Patreon Paypal
Bitcoin Ether Patreon Paypal

Por fim…

É assim que esperamos fazer emergir novas maneiras de se pensar e agir que sejam adaptáveis à realidade do século XXI e que nos permitam viver de forma harmoniosa com nós mesmos, os outros, e o ambiente. Para saber mais, leia Por que Emergir?

Avante, em rede!